Posição da Comissão de Trabalhadores da UP relativa às bolsas FCT

A  Comissão de Trabalhadores da Universidade do Porto (CT-UP) manifesta a sua preocupação face ao resultado dos concursos individuais para Investigador/FCT e Posdoc recentemente divulgados.

A Universidade do Porto, responsável por 20% das publicações científicas internacionais portuguesas, foi fortemente afectada, tal como o resto da estrutura científica nacional. Por exemplo, numa área considerada por sucessivos governos como estratégica – o Mar, foram concedidas apenas 8 bolsas de pós-doutoramento, ficando de fora mais de 91% dos candidatos. Nas Ciências Sociais o corte foi ainda mais expressivo.

A política do cortar a direito irá ter consequências muito negativas quer para o potencial científico face à concorrência mundial, quer para a vida de milhares de investigadores (incluindo centenas na U.Porto) ao verem as suas carreiras terminadas abruptamente. Jogar no desemprego real um numero tão elevado de pessoas altamente qualificadas, maioritariamente formadas em Portugal, sem qualquer alternativa de trabalho nas diferentes especialidades científicas e técnicas é, sem dúvida, hipotecar o futuro do país e impedir o tão propagandeado relançamento, incluindo o económico.

A Comissão de Trabalhadores da Universidade do Porto